Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Blonde D'Aquitaine

O Blonde D'Aquitaine foi introduzido no Brasil em 1972 na exposição de Esteio, no Rio Grande do Sul.

Vários fazendeiros utilizam o Blonde em cruzamento industrial, obtendo excelentes resultados, principalmente quando a raça usada é a Nelore, mas precisamente no Brasil-Central.

Uma grande utilidade do Blonde no Brasil é o cruzamento com a raça Caracu, para formação da raça Aquitânica.

Origem

É originária dos montes Pirineus, em terrenos pedregosos e de pastagens muito pobres. Isso lhe confere boa rusticidade. Suporta tanto frio quanto o calor intenso, o que é comum naquela região.

Características

Originariamente a raça Blonde D'Aquitaine é considerada de aptidão mista, trabalho e corte.

Atualmente, o sistema de manejo busca a especialização para o corte que predominou em virtude das crescentes exportações e da implantação de rebanhos Blonde D'Aquitaine nas regiões do centro e do oeste da França.

O Blonde foi introduzido no Brasil em 1972 na exposição de Esteio-RS, anos mais tarde foram feitas as primeiras importações de animais puros o que permitiu a formação do atual rebanho puro existente no país.