Os principais sinais clínicos de verminose no gado

Há a necessidade também de exames laboratoriais para combater as doenças

Os parasitos internos prejudicam a produtividade e a reprodução dos bovinos. São os responsáveis por retardo do crescimento, diarreias, diminuição do apetite, pelos arrepiados, desidratação, infecção bacteriana secundária e pneumonia. Na reprodução, provocam distúrbios do cio, alterações no ciclo reprodutivo, afetam o crescimento dos animais jovens, atrasam a puberdade e a idade ao primeiro acasalamento.  “Os parasitos internos são os vermes gastrintestinais e os que acometem os pulmões dos bovinos. Os principais atacam o abomaso, ou seja, o estômago do animal, o intestino delgado, o intestino grosso e o pulmão”, explica a Gerente Técnica da Noxon Saúde Animal, Dra. Daniela Miyasaka.

É necessário o exame parasitológico de fezes para determinar a carga parasitária por meio da contagem dos ovos presentes em quantidade conhecida de fezes (OPG). O hemograma também é recomendado, pois podem ocorrer anemias severas, leucocitose e eosinofilia.

A prevenção aos parasitos internos começa desde o útero da mãe. “Vacas prenhes devem ser tratadas pelo menos uma vez ao ano e trinta dias antes da data prevista do parto”, esclarece a Dra. Daniela.

O cuidado continua assim que nasce o bezerro. “Para a vermifugação do récem-nascido podem ser utilizados o Sulfóxido de Albendazol 13,60%, a Ivermectina 1%, ou a Ivermectina 1% + ADE (com vitaminas A, D, E que ajudam no desenvolvimento do bezerro). Dos dois meses até a desmama, recomenda-se vermifugar a cada 60 ou 90 dias. Já para bezerros na desmama, a recomendação é o uso de Ivermectina Injetável 3,5% (longa ação), Ivermectina 1%, Ivermectina 1% + ADE, Abamectina 1% + ADE ou Fosfato de Levamizole Injetável (22,3%)”, ensina a Gerente Técnica.

Para vacas em lactação, a Dra. Daniela sugere o Lactus Pour On, da Noxon Saúde Animal, que não exige o descarte do leite. “O produto é indicado para o tratamento e controle de vermes redondos gastrintestinais e ainda auxilia no controle de carrapatos, mosca-dos-chifres, bernes e bicheiras”, conclui.

É importante sempre consultar o médico veterinário, respeitar os períodos de carência dos produtos e seguir as recomendações de bula.

Helmintos. Foto: Prof. Dr. Fernando A. Borges – UFMS.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *